18/03/2009

RESUMO - FAMÍLIA REAL E INSURREIÇÃO PERNAMBUCANA

Família Real no Brasil:

Cenário europeu:

  • Lutas entre monarquias nacionais e o Império Napoleônico
  • Bloqueio Continental imposto por Napoleão
  • Portugal deveria decidir entre França ou Inglaterra (prefere ficar com os ingleses)
  • A corte portuguesa deixa Portugal em novembro de1807 e chega ao Brasil em 22/01/1808.

    D. João no Brasil.

    Medidas:
  • Abertura dos portos (1808) à quebra do monopólio comercial
  • Criação do Banco do Brasil (1808)
  • Permissão da atividade industrial no Brasil
  • Assinou dois tratados com a Inglaterra à Aliança e Amizade e de Comércio e Navegação.
  • Tratados concediam: vantagens alfandegárias sobre os produtos britânicos
    15% para os ingleses, 16 % para os portugueses e 24 % para os outros países.
    * cláusula exigindo o fim do tráfico negreiro.
  • Estabeleceu a Biblioteca Real
  • Surgiu a Gazeta do R. de Janeiroà 1º jornal brasileiro (Imprensa Régia 1808)
  • Incentivo a missões exploradoras, a pesquisa, a arte
  • Brasil foi elevado a categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves (1815)
  • Criação de uma burocracia no Brasil
  • Fundação da Academia militar e da Marinha
  • Fundação do Hospital Militar
  • Criação de duas Escolas de Medicina
  • Criação da Academia de Belas Artes
  • Criação do Jardim Botânico

    * medidas destinadas a satisfação da elite portuguesa e brasileira

Revolução Pernambucana


Causas:

  • Crescente aumento dos impostos ( servia aos interesses da Corte )
  • Seca de 1816
  • Açúcar e Algodão preços em queda

    Objetivo: Proclamar uma República com base nas idéias iluminista

Setores da sociedade: padres, militares, comerciantes, artesãos e proprietários rurais.

Conflito:

  • Ao saber do movimento o governador de PE ( Caetano Pinto de Miranda Montenegro) manda prender os revoltosos. Houve resistência.
  • Rebeldes prendem o governador e ficam no poder por 75 dias e tomam a seguintes medidas:

* constituem um governo provisório
* acabam com alguns impostos
* elaboram uma Constituição ( liberdade religiosa e de imprensa e “igualdade” para todos)

Líderes: Teotônio Jorge, padres Miguel Joaquim ( Miguelinho) e Pedro de Souza Tenório, Antônio Henriques, José de Barros Lima foram condenados a morte por enforcamento. Anistiados: Frei Caneca, Antonio Carlos Ribeiro de Andrada.

Nenhum comentário: